terça-feira, 3 de abril de 2018

Sabia-te em mim naquele Abril












O relógio anda ... A noite já caiu...
O sono não vem e o Abril chegou depressa..

Chegou depressa o dia do calendário em que as lembranças de sofrimento se apoderam de mim, entram pelas noites e nem o zapping pela televisão as leva.

Sei o propósito, sei que me ouves e me comunicas, sei que a saudade fica e que o Amor vence sempre.
Recordo-me da tua pele gelada, e do teu peito saltitante.
Recordo-me da Paz naquela noite...
Do olhar molhado, e das nossas almas de luz se unirem para sempre.
Recordo-me do respirar notável em mim, e da calma no meu olhar...
Recordo-me de nada me recordar.
Recordo-me de te prometer que tudo iria correr bem.
Se tudo desse para escrever, descrevia o quanto fomos abençoados naquele momento de dor na alma.
Eu sabia-te em mim, e tu sentias-me na alma, a tua alma falou-me no silêncio do olhar que só nós sabíamos falar.
Sei de cor que vivemos amor, e mais uma vez estávamos a viver amor.

Pedi a Deus que fosse feita a sua vontade, mas que não o fizesse com sofrimento. E assim foi (...) Abençoados com uma fé que não se explica - "Foi feita a sua vontade , assim na terra como no céu"

E na minha alma eu sei que parecendo clichê ou não, a tua viagem foi em paz e eu como sempre te prometi, pude dar-te a mão e acompanhar-te nesse caminho do nosso tão duro desapego físico.

Hoje eu sei, a minha alma aperta por mais um toque, os meus olhos olham o céu, e os meus joelhos sentem o chão, o meu corpo acusa saudade.

"Avé Maria cheia de graça (...) bendita sois vós entre as mulheres... E bendito é o fruto do vosso ventre (...)"

 Um beijo meu amor com saudade eterna,
Mamã

7 comentários :

  1. Não encontro as palavras certas, mas não posso deixar de lhe manifestar o meu carinho. Acompanhei a vossa caminhada desde o início... perdi a minha mãe em agosto pela mesma doença, mas não consigo imaginar a sua dor...admiro a sua força, a Cláudia merece ser feliz.

    ResponderEliminar
  2. Acompanho o seu blog desde o inicio e nunca consigo "passar" sem o abrir, sem ler e sem tentar imaginar a sua dor....mas não dá se quer para a imaginar, sinto uma angustia, um aperto no peito! Admiro a muito. Um beijinho no coração!

    ResponderEliminar