segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Aceitação




















Talvez ainda não tenha aceite que isto nos aconteceu, tenho em mim todas as perguntas do mundo e provavelmente todas as perguntas que todos os pais nesta situação têm. 

Tenho em mim todas as perguntas do mundo, mas que mais me assombra é o medo permanente de perder o meu filho. 
O que faz uma mãe sem o seu rebento?
Não é esta a lei da vida, ele sim, um dia vai-me ver partir, eu não! Eu não estou preparada. 

Não há outra forma de encarar a realidade se não "de frente" para ela.

Aceitar que é esta a nossa realidade, fazer tudo que está ao nosso alcance para melhorar a nossa vida e a do Du, somos muito atentos e cuidadosos talvez por medo, não sei. 
O medo anda em mim todos os dias, a todas as horas. Mas acredito também todos os dias que dias melhores viram, e que depois deste processo, seremos sem duvida pessoas melhores. 

Vamos então sorrir e aceitar, encarar cada dia com o que ele tem para nos dar, e todos os dias o D nos dá essa vontade de sorrir. 
Conhecemos agora pessoas fantásticas, e uma realidade completamente diferente daquela que conhecíamos.

Fico surpreendida ao observar as mães destroçadas, assustadas, mas com uma força inabalável, sempre a sorrir por aqueles corredores que tanto fazemos durante os nossos internamentos. 
É incrível a força que as pessoas ganham nestes momentos de provação.
Em mim tenho todos os medos do mundo...
Em mim tenho todas as perguntas do mundo...
Mas em mim tenho também um amor incondicional que me move.
Também choro, também sou fraca, mas sou humana e nunca ninguém me ensinou a ser diferente, chorar faz parte.. E sorrir não é crime mesmo quando temos um filho doente... Acredito que a alegria, as brincadeiras, a boa disposição tem um grande papel neste processo.

Por isso por mais que estejamos desfeitos por dentro tentaremos sempre manter a boa disposição que sempre nos descreveu. 

Com amor,
Mãe do Duarte 

12 comentários :

  1. Força minha querida e, acima de tudo, um sorriso, que é do que o seu principe precisa.
    Um beijo com muito carinho.

    Se algum dia precisar de falar, só falar, ou chorar, o que seja deixe o contacto que eu ligo-lhe ou então enviarei o meu contacto. Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. A vossa história terá um final feliz! Um dia irá rever este Blog com o Duarte e todas estas vivências farão parte de um passado muito longínquo :) FORÇA!

    ResponderEliminar
  3. E é esse teu sorriso lindo que dá cor, luz e alegria à vida do Duarte. E como ele é feliz...

    ResponderEliminar
  4. Força não sabemos de onde vem? !
    Sabemos!
    Vem do ser maravilhoso que tivemos dentro de nós
    Rir ou sorrir, faz bem, transmite a paz que não temos mas a ele faz falta!
    A tormenta porque passam agora, vai ser a batalha da vossa vida, que juntos vão ultrapassar e gritar para todo o mundo CONSEGUIMOS! !!!!!!!!!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. é isso mesmo Cláudia! procuraremos ser pessoas melhores.........o Duarte, assim como outros doentes merecem isso. Um abraço enorme e que a "força" vos acompanhe em momentos + difíceis. Nós que lemos a tua dor.........estamos a 1 clic. Também estamos aqui por ti, pelo Duarte e por tantos outros.........Bjs

    ResponderEliminar
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  7. Ontem li o texto que escreveu e as lágrimas vieram-me aos olhos. Como sabe este é também um tema do meu dia a dia, os seus medos são os nossos medos e o relato do dia que a vida mudou é tão similar à vossa. O meu irmão é um jovem de 25 anos e era saudável, não fumava nem bebia e nós perguntamos porquê. Eu estava grávida de 5 meses quando o nosso chão nos fugiu debaixo dos pés... Como mãe não sei a dor que sente e desejo nunca ter de passar por tal sufoco e tal provação, mas posso dizer-lhe que sei exactamente o que é a dor do desespero e a dor ao pensarmos o que não queremos mas inevitavelmente pensamos. Sigo a história do Du desde o inicio de Novembro, desde esse dia apelo por ele nas redes sociais e muitas vezes vou ver a vossa página porque me lembro dele.
    Não posso fazer muito para minimizar essa dor mas se precisar de alguma coisa estaremos aqui, infelizmente é algo que conhecemos bem...
    Nunca deixe de sorrir mais vale um sorriso triste do que uma vida sem sorrir e tenho a certeza que é o vosso sorriso que faz com que o Du tenha vontade de sorrir.
    Força o pesadelo é longo mas vai terminar e todos nós sairemos dele mais fortes e melhores. O Du e o meu irmão ainda se vão conhecer na UTM estamos a trocer por vocês.
    Beijinhos Cátia Duarte

    ResponderEliminar
  8. Muita força e muitos sorrisos! É preciso por vós e pelo D.!!!!

    ResponderEliminar
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  10. Todos os dias com o Du no coração e a pedir para que esta fase passe!!! Acreditem, tenham esperança e tudo correrá bem :) Um sorriso tão lindo como o teu contagia, meu querido Du <3

    ResponderEliminar